terça-feira, 24 de junho de 2008

Festa de São João


As Festa Juninas são celebrações brasileiras e portuguesas, de origem européia, que estão relacionadas historicamente com as festas pagãs do solstício de verão, celebradas no dia 24 de junho, segundo o calendário Juliano (pré-Gregoriano) e cristianizada na Idade Média como Festa de São João.
Em Portugal, estas festas são conhecidas pelo nome de Santos Populares e correspondem a diferentes feriados municipais: Santo Antonio, em Lisboa, São Pedro no Seixal, e São João, no Porto, em Braga e em Almada.
No Brasil, recebeu o nome de Festa Junina (chamada inicialmente de joanina, de São João), porque acontece no mês de junho.
Além de Portugal, a tradição veio de outros países europeus cristianizados dos quais se oriundam as comunidades de imigrantes, chegadas a partir de meados do século XIX. Ainda antes, porém, a festa já tinha sido trazida para o Brasil pelos portugueses e logo foi incorporada aos costumes das populações indígenas e afro-brasileiras.
As Festas de São João são ainda celebradas em alguns países europeus católicos, protestantes e ortodoxos (França, Portugal, Irlanda, os países nórdicos e do Leste europeu).
Na França, a Fête de la Saint-Jean (Festa de São João), assim como no Brasil, é comemorada no dia 24 de junho e tem como maior característica a fogueira. Em certos municípios franceses, uma alta fogueira é erguida pelos habitantes em honra a São João Batista. Trata-se de uma festa católica, embora ainda sejam mantidas tradições pagãs que originaram a festa. Na região de Vosges, a fogueira é chamada chavande.
Na Polônia as tradições juninas estão associadas principalmente com as regiões da Pomerânia e da Casúbia, e a festa é comemorada dia 23 de junho, chamada localmente Noc Świętojańska (Noite de São João). A festa dura todo o dia, começando às 8h da manhã e varando a madrugada. De maneira análoga à festa brasileira, uma das características mais marcantes é o uso de fantasias, mas não de trajes camponeses como no Brasil, e sim de vestimentas de piratas. Fogueiras são acesas para marcar a celebração. Em algumas das grandes cidades polonesas como Varsóvia e Cracóvia esta festa faz parte do calendário oficial da cidade.
Na Russia a festa de Ivan Kupala (João Batista) é conhecida como a mais importante de todas as festas russas de origem pagã, e vai desde 23 de junho até 6 de julho. É um rito de celebração pelo verão, que foi absorvido pela Igreja Ortodoxa. Muitos dos rituais das festas juninas russas estão relacionados com o fogo, a água, fertilidade e auto-purificação. As moças, por exemplo, colocam guirlandas de flores na água dos rios para dar sorte. É bastante comum também pular as chamas das fogueiras. As festas juninas russas inspiraram o compositor Modest Mussorgsky para sua famosa obra "Noite no Monte Calvo".
As festas juninas da Suécia (Midsommarafton) são as mais famosas do mundo. É considerada a festa nacional sueca por excelência, comemorada ainda mais que o Natal. Ocorre entre os dias 20 e 26 de junho, sendo a sexta-feira o dia mais tradicional. Uma das características mais marcante são as danças em círculo ao redor do majstången, um mastro colocado no centro da aldeia. Quando o mastro é erigido, são atiradas flores e folhas. Tanto o majstången sueco como o mastro de São João brasileiro têm as suas origens no "mastro de maio" dos povos germânicos. Durante a festa, são cantados vários cânticos tradicionais da época e as pessoas se vestem de maneira rural, tal como no Brasil. Por acontecer no início do verão, são comuns as mesas cheias de alimentos tipicos da época, como os morangos e as batatas. Também são tradicionais as simpatias, sendo a mais famosa a das moças que constroem buquês de sete ou nove flores de espécies diferentes e colocam sob o travesseiro, na esperança de sonhar com o futuro marido. No passado, acreditava-se que as ervas colhidas durante esta festa seriam altamente poderosas, e a água das fontes dariam boa saúde. Também nesta época, decoram-se as casas com arranjos de folhas e flores, segundo a superstição, para trazer boa sorte. Durante este feriado, as grandes cidades suecas, como Estocolmo e Gotemburgo tornam-se desertas, pois as pessoas viajam para suas casas de veraneio para comemorar a festa.
As fogueiras de São João e a celebração de casamentos reais ou encenados (como o casamento fictício no baile da quadrilha nordestina) são costumes ainda hoje praticados em Festas de São João européias. Em razão da época propícia para a colheita do milho, as comidas feitas de milho integram a tradição, como a canjica e a pamonha.
O local onde ocorre a maioria dos festejos juninos é chamado de arraial, um largo espaço ao ar livre cercado ou não e onde barracas são erguidas unicamente para o evento, ou um galpão já existente com dependências já construídas e adaptadas para a festa. Geralmente o arraial é decorado com bandeirinhas de papel colorido, balões e palha de coqueiro. Nos arraiás acontecem as quadrilhas, os forrós, leilões, bingos e os casamentos matutos.
Você já foi ou irá participar de alguma Festa Junina esse ano?
Bjôooooo

Fonte: Wikipedia

2 comentários:

M. C. disse...

Oi Carla!
Sabia que o meu marido é dos Vosges!
Entao todo ano tem "chavande" no village dos pais dele. Eles fazem como no Brasil, mudam o dia da festa para nao coincidir todos no mesmo dia.
Mas eu morro de saudades das comidas e roupa de caipira do Brasil... aqui nao tem prato típico dessa festa...

Fabricia Prado disse...

Oi, Carla!
Pois é, eu adorei o seu blog e o da Daniela também... aliás, me deliciando pelo seu que eu achei o dela... rs!

Muito bom! Amei... não pare de escrever nunca!!!
Eu também tenho meus momentos de escritora, adoro escrever. Gosto de expor minhas idéias e pensamentos.
Tenho uns rascunhos por aqui... Tudo de bom pra vc!

Bjão,
Fabricia.