quinta-feira, 10 de julho de 2008

Beber ou não beber? Eis a questão...


Ainda não havia escrito sobre a nova Lei Seca pois, para ser sincera, não tinha formado uma opinião relevante sobre o assunto. Talvez por adorar um choppinho com os amigos na happy-hour, ou algumas doses de wiskhy jogando pôker, algumas doses de vodka com energético nas baladinhas, e até champagne para as comemorações...
Sim, eu gosto de beber socialmente!
E não, eu NUNCA sofri ou provoquei qualquer acidente de trânsito por ter ingerido bebida alcoólica.
Sorte? Talvez, mas o fato é que cheguei a uma conclusão: sou a favor da Lei, mas sem exageros. E sem hipocrisia, pois existem pessoas mais tolerantes que as outras ao álcool. Também temos que levar em consideração a quantidade de bebida x o tempo em que a mesma foi ingerida. E, de contexto em contexto, essa variação é tão grande que talvez não valha a pena se arriscar!
Segundo o Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (Cisa), em São Paulo, como regra geral, é possível dizer que quem consome um único chopp ou uma única taça de vinho (ou, no caso de bebidas destiladas, meia dose de wiskhy) deve esperar entre uma hora e meia e duas horas antes de poder assumir o volante com tranqüilidade. No entanto, a variabilidade entre as pessoas é tão grande que esse tempo pode dobrar, mesmo quando doses idênticas são consumidas (confira o infográfico para uma estimativa, envolvendo esses intervalos de confiança e englobando até três doses).
Uma das principais variáveis que precisam ser consideradas é o sexo da pessoa: homens, por natureza, metabolizam mais rápido o álcool, porque as enzimas (moléculas orgânicas que aceleram reações químicas) de seu estômago agem mais eficazmente do que as do organismo feminino. É preciso levar em conta também o peso corporal de cada indivíduo para saber com precisão como o álcool será metabolizado, ressalta Silvia de Oliveira Santos Cazenave, perita do Instituto de Criminalística de Campinas e professora de toxicologia, também na PUC-Campinas.
Também faz uma diferença significativa ingerir bebida alcoólica com o estômago vazio ou cheio, diz Cristiana Corrêa. "A presença do bolo alimentar no estômago atrasa a absorção do álcool", lembra a especialista. Na dúvida, avalia ela, é melhor ser conservador e supor que seu organismo está mais para o lento do que para o apressadinho nesse quesito.
Se fatores como sexo e peso já parecem complicar a equação do metabolismo de álcool, é importante lembrar que a idade de quem bebe também influencia, segundo Cazenave. "Pessoas acima dos 60 anos tendem a absorver e eliminar o álcool mais devagar. Por outro lado, se ao longo da vida desenvolveram tolerância à bebida, por causa da ingestão contínua, isso pode se inverter", lembra ela.
A própria velocidade com que a pessoa está consumindo determinada bebida alcoólica interfere na metabolização da substância. Nesse caso, o bom senso vale: beber grandes goles rapidamente leva a uma concentração mais alta de álcool no sangue (e no hálito) do que ingerir a bebida devagar e sempre.
E aí? Diante de todas essas informações, qual será a sua atitude a partir de agora?
Acredito que é sempre melhor previnir do que remediar, portanto, se resolver “enfiar o pé na jaca” pegue um táxi... É mais fácil e não sairá tão caro quanto a multa de quase R$ 1000,00...

Bjôooooo

Fonte: G1 – Carros e Medicina – Reinaldo José Lopes

2 comentários:

Dan Setra disse...

oq acontece é exatamente isso:

http://rafaelsica.zip.net/images/521tirasicac.gif

fazer oq, não?

Ovíno: Os Mutantes - Hey Boy

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Eu sou COMPLETAMENTE a favor da Lei seca. Sou como você a adoro beber socialmente, na verdade bebo quase nada, mas acho que volante e bebida não combinam e ponto! Não há o que discutir se é uma cervejinha ou duas. Não combina e acabou!

Táxi é a melhor saída! Se for de carro e chegar na festa e não resistir, deixe o carro na rua. Fica mais barato pagar o táxi para pegar no dia seguinte do que a multa de 900 reais rsrssrs Ou pior, tirar uma vida.

Bjosssssssssss