terça-feira, 2 de setembro de 2008

Pequim bate recorde de participação feminina


Com um ligeiro atraso, faço aqui a minha análise sobre a participação feminina nas Olimpíadas de Pequim: elas arrasaram os homens este ano. Foi uma verdadeira consagração da força do sexo frágil!
De acordo com o site oficial do Comitê Olímpico Internacional (COI), dos 11.196 atletas que estiveram em Pequim, 4.746 eram mulheres. Esta foi a maior participação de atletas do sexo feminino de todos os tempos. A entidade ainda elogia o Comitê Organizador dos Jogos de Pequim por ter defendido a bandeira feminina durante todo o tempo.
Falando em Brasil, as mulheres salvaram a pele do nosso país em Pequim. Com duas medalhas de ouro, uma de prata e três de bronze, elas evitaram que deixássemos a China com uma participação pífia no quadro de medalhas, já que os homens favoritos ao ouro decepcionaram.
A ala feminina do Brasil, composta por 133 atletas, conquistou glórias inéditas no vôlei, atletismo, judô e taekwondo. E, pela primeira vez na história brasileira, teve um desempenho melhor que a parcela masculina da delegação, composta por 144 atletas.
A primeira brasileira que brilhou em Pequim foi a judoca Ketleyn Quadros, que surpreendeu na categoria leve ao ganhar a medalha de bronze. Assim, com 20 anos de idade, entrou para a história do país ao se tornar a primeira brasileira a ganhar uma medalha em provas individuais nas Olimpíadas.
O feito de Ketleyn foi batido dias depois por Maurren Maggi. Com um salto de 7,04 m, apenas um centímetro melhor que o da russa Tatyana Lebedeva, ela ganhou a primeira medalha de ouro de uma única brasileira em Jogos Olímpicos.
Antes de Maurren, o mais perto que o Brasil havia chegado ao pódio no atletismo feminino tinha sido com o quarto lugar de Aída dos Santos no salto em altura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 1964. Passados quarenta e quatro anos, a mesma Aída dos Santos pôde, enfim, comemorar uma medalha na família. A filha da atleta, a meio-de-rede Valeskinha, integrou a seleção de vôlei que ganhou a medalha de ouro pela primeira vez, de forma soberana. Venceu todos os adversários, perdendo apenas um set durante a competição.
Outro feito de nossas mulheres em Pequim foi a conquista de medalhas em um esporte até então dominado pelos homens: a vela. Isabel Swan e Fernanda Oliveira ficaram com o bronze na classe 470.
E por fim, mas não menos importante, o taekwondo garantiu sua primeira medalha olímpica com a campeã mundial Natália Falavigna.
Deixo aqui os meus PARABÉNS a toda a delegação olímpica brasileira, a quem ganhou ou não medalhas, mas que chegaram até lá. Mas esse post é uma homenagem às nossas mulheres guerreiras, que a cada dia mostram mais o seu valor e a sua capacidade de superação.

Bjôoooo a todas!

Fonte: Lancepress

Um comentário:

M. C. disse...

Oi Carla!
vi essa foto com assunto mulheres e lembrei do seu blog, bjs Mari

http://iheartphotograph.blogspot.com/2008/08/ejla-kameri.html