domingo, 7 de dezembro de 2008

Tricolor HEXA CAMPEÃO!



É com muita alegria que concretizo aqui a continuação de um post meu do mês passado: "Em busca do Hexa".
Depois de deixar escapar a chance de conquistar o título Brasileiro em casa, com o estádio do Morumbi lotado, o São Paulo viveu uma semana de expectativa. A pressão pela possibilidade de um tropeço era grande e ficou ainda maior com a mudança do árbitro do jogo decisivo. Mesmo assim, o time fez valer seu favoritismo, contou com um gol (mesmo que irregular) para superar o Goiás por 1 a 0 no Bezerrão e conquistou seu sexto título nacional.
O dia que antecedeu o confronto que definiu o Campeonato Brasileiro deste ano foi marcado pelo afastamento do árbitro Wagner Tardelli pela CBF por conta de uma suspeita de tentativa de suborno levantada pelo presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo del Nero. Mas os jogadores não demonstraram terem sentido a polêmica.
Com a conquista do Brasileirão de 2008, a equipe paulista conseguiu duas marcas históricas no torneio. Essa é a primeira vez que um time leva o Nacional por três anos consecutivos. Antes disso, Internacional, Flamengo, Palmeiras e Corinthians já tinham “apenas” conquistado o titulo brasileiro em dois anos seguidos.
Além do tricampeonato inédito, o São Paulo consagra sua hegemonia nacional. O clube do Morumbi é o único a ter seis títulos brasileiros. O Flamengo “disputa” com a CBF a posição de pentacampeão, mas a entidade não reconhece a taça de 1987 dos cariocas. Dessa forma, ao lado dos rubro-negros, Vasco, Corinthians e Palmeiras venceram o torneio por quatro vezes.
A expressão de Muricy Ramalho, após a vitória sobre o Goiás por 1 a 0, era de alívio. O técnico são-paulino chorou, gritou e até deu a volta olímpica quase que solitariamente no estádio Bezerrão. Ao final, não pensou em duas vezes e admitiu que sua postura às vezes "marrenta" foi fundamental para a conquista do terceiro titulo consecutivo do Campeonato Brasileiro.
"Esse time está aqui porque sou marrento. Sem isso, não aconteceria nada. Estou muito feliz por ter alcançado um objetivo que para muitos era quase impossível. Até mesmos para alguns de nossos atletas. Eles acreditaram. Quero agradecer ao Juvenal Juvêncio (presidente do clube) pela força, a torcida e a minha família. Este ano foi muito difícil e estou cansado, mas fui macho pra caramba e aí está. O São Paulo é hexacampeão e eu, tri. Dificilmente isso vai acontecer outra vez. A torcida é que me fez ficar aqui. O que mais me segurou aqui foi a torcida. Há três meses vem gritando menu nome. Recebo carta e tenho uma responsabilidade enorme. São milhões de pessoas que dependem da gente" desabafou o técnico Muricy Ramalho, ainda no gramado do estádio do Gama.
Questionado se o treinador seria mantido para a próxima temporada, o presidente Juvenal Juvêncio ironizou o repórter. "Você manteria? Você tem alguma dúvida?", disse o dirigente.
É isso aí! Parabenizo Juvenal Juvêncio (e todos os outros integrantes dos bastidores do SP, inclusive os profissionais de Marketing), Muricy Ramalho, e toda a equipe de jogadores! E agora, sem qualquer dúvida, somos os únicos HEXA campeões!

Bjôooooo

Fontes: Jorge Corrêa - Brasília (DF) e Uol Esporte – SP
Crédito Foto: Joedson Alves – AFP

2 comentários:

Olavo disse...

TRICOLOR É TRICOLOR..NÃO É MESMO??RS..BEM VINDA AO BLOG..O SEU É OTIMO!!
BEIJÃO

Bruno P. disse...

Eita rotina boa.
Apesar de alguns erros esse ano, nos mantivemos acima do nível do resto.
Missões grandes ano que vem, que demandam grande planejamento e investimentos.

Dois comentários pertinentes:

a derrota clamorosa da FPF - Federação Palmeirense de Futebol/Traffic que não soube perder, e tentou criar um episódio ridículo digno de enredo da Malhação. (O SPFC, com três pontos na frente, tenta comprar o juiz com dois ingressos da Madonna?? é isso?!)

o querido leitor desse comentário pode querer comparar o êxito do São Paulo com o do Inter no meio da semana, sua vanglória pelo título de tudo; tenho a dizer que faltam ao São Paulo a Copa do Brasil e a Sul-Americana, dois prêmios de consolação a quem não participa da Libertadores, de onde não saímos há seis anos. É quase tão piada pronta quanto comemorar título da segunda divisão.
Abraços.