segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Agora é a época certa para mudar de emprego


Ano novo, vida nova! E com esse mote, muitas vezes pensamos em nossa vida profissional, e chegamos a algumas conclusões: queremos melhor salário, queremos mais reconhecimento, queremos novos desafios... Ou, em outras situações, inclusive em épocas de crise, demissões inesperadas acontecem e temos que correr atrás do nosso prejuízo...
Especialistas em recursos humanos garantem: os três primeiros meses do ano são ideais para dar um upgrade na carreira. "Novos orçamentos, planos de estruturação e expansão de negócios aumentam a demanda", explica Fernando Montero da Costa, diretor de Operação da Human Brasil, multinacional prestadora de serviços em consultoria, recrutamento e seleção de pessoas. "Percebemos que as oportunidades são 20% maiores em relação a outros períodos", completa Fernando.
A demanda varia de acordo com o segmento de mercado, com destaque para o setor de tecnologia, que tradicionalmente cresce nessa época devido ao incremento de novos clientes. João Lins, sócio da PricewaterhouseCoopers Brasil, e especialista em Capital Humano, lembra que há empresas que seguem outro calendário fiscal e, portanto, o ano pode ter início em outras épocas. "Além disso, cada setor obedece a sua dinâmica", diz.
Isso põe abaixo a idéia comum de que nada acontece nos primeiros meses do ano. "A melhor lição vem da filosofia popular que diz que camarão que dorme a onda leva. Prorrogar a ação por pensar que não é a época certa é atitude inadequada a qualquer um. O bom profissional se antecipa e não acredita nesse mito", afirma Lins.
Veja as principais dicas dos especialistas para sacudir a carreira:

ATUALIZE SEU CURRÍCULO
Preste muita atenção às novas normas ortográficas. Seja objetiva e clara. "Isso é fundamental", afirma João Lins, ao lembrar que é preciso colocar em destaque os diferenciais importantes para o cargo. Você pode não ser uma supermulher, mas o mercado pede profissionais polivalentes. Então, demonstre no currículo as competências mínimas exigidas. "São elas liderança, capacidade de trabalhar em equipe e de motivar pessoas, visão estratégica e de planejamento", explica Montero da Costa.

CONTATO COM EMPRESAS
Há vários canais para isso. O principal veículo para recolocações é ainda a velha e boa rede de relacionamento do profissional, a chamada network. Acione pessoas com quem você trabalhou, conhecidos e amigos da área, mas não seja chata. Explique o que a motivou a tomar a decisão e exponha o que pretende, de forma objetiva.
Se a network é uma ferramenta e tanto, confirmada por pesquisas e por headhunter (caçadores de talento), enviar currículo via e-mail (faça isso sempre de sua conta particular e não de seu endereço eletrônico profissional) ou se cadastrar no site da empresa também são ótimos canais. "Hoje 30% delas já iniciam os processos de seleção dessa maneira", diz Montero da Costa.
Há ainda a opção do contato telefônico ou pessoal, se o candidato se sentir mais confortável dessa maneira. "É possível, mas só se houver abertura para isso", diz Gerson Correia, sócio-diretor da Talent Solution. Além desses meios, há outras estratégias. Uma delas é a participação em eventos profissionais como feiras, congressos e publicações da área.
João Lins adverte para não cair no conto do emprego certo. "Não existe promessa de recolocação nem venda de vagas. Tome cuidado com empresas de recolocação que ofereçam tais vantagens", diz.

PRATICAR PARA AS ENTREVISTAS
Se você está há anos sem passar por uma entrevista de emprego, pratique. Para isso, há cursos que preparam os candidatos e empresas de recolocação que oferecem treinamentos específicos. Informe-se sobre a filosofia da empresa (os sites são uma ótima referência, assim como as ferramentas de busca da internet); atualize-se de forma geral e não só em sua área específica; e vista-se de forma coerente com o cargo que almeja (sempre sem excessos). "Ficamos enferrujados. Precisamos saber quais são as necessidades, expectativas e cobranças do momento", afirma Monteiro da Costa.

SELECIONAR E IDENTIFICAR REFERÊNCIAS PROFISSIONAIS
"É algo a que normalmente não damos muita importância e muitos profissionais emperram no processo de seleção por conta disso", diz o diretor da Human Brasil, que recomenda manter os contatos atualizados.
Certifique-se de que seus chefes ou colegas ainda trabalham no seu emprego anterior. E caso os indique como referência, avise-os que serão procurados. Isso, aliás, é uma boa dica para retomar vínculos e refrescar a memória das pessoas sobre você, reforçando a valiosa network. As referências, porém, não devem estar no currículo. "São informadas apenas quando solicitadas, para não expor ninguém a inúmeros contatos desnecessários", alerta Gerson Correia.

É isso aí... Eu estou em busca de recolocação, de novos desafios... Se você também está nesta situação, junte –se a mim, e vamos à luta!!! Agora. Hoje. Antes mesmo do Carnaval e das férias passarem...

PS: E se souberem de algo em São Paulo, na área de Marketing ou Planejamento, me avisem!!!

Bjôooooo

2 comentários:

Felipe disse...

Oieee!
Respondendo o seu comentário.
Aquarianos tem uma sede de liberdade imensa (não confunda com promiscuidade). Não suportamos amarramas, cobranças demasiadas e a melhor forma de nos conquistar é ser livre conosco... Entende? Acho que não... somos complicados mesmo...rs
Beijos

Pepper Popps disse...

Sempre queremos algo melhor e novo para nós, e isso é ótimo! Quem fica parado é poste né amiga rs?!
Beijosssss!!!!