quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Aos apreciadores de uma boa cerveja


Você, como eu, é fã de uma boa cervejinha gelada?
Costuma fazer refeições acompanhadas de uma boa cerveja ou é daqueles que acham que cerveja e refeição não combinam?
Como os vinhos, as cervejas pedem harmonização e alguns cuidados na hora de serem combinadas com a alimentação. De acordo com o estilo, elas acentuam ou prejudicam o sabor dos pratos e precisam de atenção na hora de ir à mesa. "Há a versão da bebida ideal para aperitivos e pratos leves, existe outro tipo que combina com carnes e demais receitas encorpadas e até uma bebida ideal para ser degustada junto a peixes e frutos do mar", afirma o cervejeiro Alexandre Bazzo, proprietário da Cervejaria Bamberg de Votorantim, em São Paulo.
O especialista também nos ensina as combinações ideais de pratos para cada tipo de cerveja e ainda apresenta as características das versões mais conhecidas da bebida. Há uma delas que, inclusive, vale como substituição ao cafezinho após as refeições. Vamos lá:

PILSEN: possui cor dourada e o frescor do lúpulo. Sua espuma é consistente, com aroma e corpo característicos de cervejas de puro malte. Equilibra perfeitamente seus componentes, sem deixar que nenhum se sobreponha aos outros. Se harmoniza com vários tipos de pratos leves e de sabor suave. A marca de cerveja Pilsen mais famosa no mundo é a holandesa Heineken.

MÜNCHEN: produzida com ingredientes originários da região de Munique, na Alemanha, possui cor marrom avermelhada e um aroma marcante de malte combinado com o frescor do lúpulo. Se harmoniza com pratos de carne bovina, suína ou frango.

WEIZEN: na Baviera, é bebida geralmente por volta das 10h da manhã devido à sua leveza e poder nutritivo. Possui cor alaranjada e gosto cítrico refrescante misturado a um sabor de cravo e banana. Ao degustá-la, tem-se a sensação de ter a boca preenchida por sua cremosidade seguida de nuances de banana e cravo, provenientes do processo de fermentação. Combina com pratos leves, como os da cozinha japonesa, peixes, saladas e frutos do mar.

BOCK: esta cerveja nasceu na cidade de Einbeck, ao norte da Alemanha. Tem cor avermelhada e traz o gosto marcante do malte com um leve toque de herbáceo proveniente do lúpulo. Seu teor alcoólico mais elevado é ideal para esquentar as noites do inverno, acompanhando pratos quentes e encorporados, como fondue, carnes bovina ou suína ou pratos típicos da culinária alemã. Está disponível apenas nos meses de junho ou julho. Temperatura ideal de servir 8°C.

KÖLSCH: é tradicional da cidade de Colônia, na Alemanha. Tem alta fermentação, coloração dourada e aroma frutado combinado com lúpulo, ideal para ser consumida em épocas do ano em que a temperatura está em elevação, como a primavera. Harmoniza com uma grande variedade de pratos, massa, saladas, carne suína, aves e peixes. Disponível sempre no início da primavera, de setembro até o mês de novembro. Temperatura ideal de servir 6°C.

SCHWARZBIER: é uma cerveja preta tradicional da região de Thuringen e da Franconia, na Alemanha. Tem aroma e sabor de café e chocolate provenientes do malte. O lúpulo não tem predominância nesta cerveja, porém possui uma discreta nota de lúpulos nobres do sul da Alemanha. Apesar de ser uma cerveja preta ela é relativamente leve e fácil de beber podendo ser consumida em qualquer época do ano. Se harmoniza com pratos elaborados à base de carnes, frangos, porcos ou cordeiros. Também pode ser consumida após as refeições substituindo o tradicional cafezinho.

ALGUMAS DICAS INTERESSANTES DE UM MESTRE CERVEJEIRO
(Gert Rieder – Alemanha)

1. Uma garrafa de cerveja dura, em média, 100 dias, se guardada em um lugar meio escuro e ventilado (o sol é fatal para a bebida). Na geladeira ela pode resistir até 6 meses, desde que não seja submetida a constantes variações de temperatura;

2. A temperatura ideal para se tomar cerveja não é nem os 8º que se toma na Europa, nem “estupidamente” gelada. De 0 a -2º C o gelo cristaliza a água, fazendo desaparecer os gases naturais, maturando o aroma e o sabor. Sirva-a entre 3 e 4º C;

3. A melhor maneira de gelar rapidamente a garrafa é colocá-la em um balde com gelo e água. Se quiser mais rapidez, acrescente sal e álcool à água: em instantes a cerveja estará no ponto;

4. Colarinho é fundamental, pois ajuda a manter o aroma, evitando a liberação rápida de muito gás carbônico. A espuma cremosa revela a persistência e o bom estado da cerveja. Para servir, derrame uma dose de cerveja no centro do copo, espere formar o colarinho (no máximo 2 dedos), e aí incline o copo uns 45º. Vá derramando a cerveja bem devagar, pelas laterais, fazendo o colarinho subir aos poucos;

5. O copo ideal é o tipo “tulipa”, de cristal, porque mantém melhor a espuma e o aroma. Canecões liberam mais rapidamente o gás e, por conterem maior quantidade de líquido, acabam deixando a cerveja esquentar;

6. Resíduos de gordura são fatais para a cerveja, acabando com o colarinho, reduzindo a espuma e soltando o gás. Por isso, o copo tem que ser muito bem lavado, e não deve ser enxugado com pano, pois ele deixa fiapos e impurezas;

7. Pode-se gelar o copo previamente, mas o ideal é sempre conservar a cerveja (garrafa ou latinha) dentro do balde de gelo, servindo a bebida aos poucos, sempre muito bem gelada.

Espero que tenham gostado das dicas e que as sigam fielmente...

Cheers!!!

Bjôooooo

Fonte: Minha Vida / Playboy

3 comentários:

Olavo disse...

Belas dicas..já até salvei aqui no pc..
mas um porém a primeira dica aqui não vale..a cerveja durar 100 dias!!!Em casa não dura 1 hora rs

beijão..desculpe a brincadeira

Carla M disse...

Ah, Olavo... Essa dica é para aqueles que têm estoque em casa... Hahahaha...
Está de volta???
Bjôooooo

Zíngara disse...

Nossa, adoro bebidas, especialmente drinks. Mas cerveja foi algo que nunca me deixou com água na boca, mesmo no dias mais quentes...

De qualquer forma, as dicas são boas, sim!

Beijos,
Zin