terça-feira, 7 de abril de 2009

Carma - parte I


Carma ou Karma (do sânscrito कर्म, transl. Karmam, e em pali, Kamma, "ação") é um termo de uso religioso dentro das doutrinas budista, hinduísta e jainista, adotado posteriormente também pela Teosofia, pelo espiritismo e por um subgrupo significativo do movimento New Age, para expressar um conjunto de ações dos homens e suas consequências. Este termo, na física, é equivalente a lei: "Para toda ação existe uma reação de força equivalente em sentido contrário". Neste caso, para toda ação tomada pelo Homem ele pode esperar uma reação. Se praticou o mal então receberá de volta um mal em intensidade equivalente ao mal causado. Se praticou o bem então receberá de volta um bem em intensidade equivalente ao bem causado. Dependendo da doutrina e dos dogmas da religião discutida, este termo pode parecer diferente, porém sua essência sempre foca as ações e suas consequências.
No budismo, Kamma ou Karma é a palavra para "ato" ou "ação", e nesse sentido usa-se a palavra em textos mais antigos para ilustrar a importância de desenvolver atitudes e intenções corretas. Considera-se que por gerar carma os seres encontram-se presos ao samsara, e portanto a última meta da prática budista é extinguir o carma.
Alguns movimentos esotéricos costumam falar em Karma no sentido de "conjunto de deméritos acumulados" e em Dharma como "conjunto de méritos acumulados" (portanto o contrário de Karma). Essa terminologia não é consistente com o uso tradicional das religiões orientais, principalmente porque Dharma significa ensinamento ou verdade em vez de mérito ou virtude. Outros adotam um conceito semelhante ao do Espiritismo.
Na visão espírita cada ser humano é um espírito imortal encarnado que herda as conseqüências boas ou más de suas encarnações anteriores. Embora Allan Kardec não tenha usado em momento algum a palavra "Karma" ou qualquer de suas variações, esta veio a ser mais tarde incorporada ao jargão espírita por alguns seguidores desta doutrina, para designar o nível de evolução espiritual de cada indivíduo, ao qual se devem as circunstâncias favoráveis ou desfavoráveis que venha a encontrar. No entanto, para explicar isto o espiritismo apresenta um conceito mais abrangente: a lei de causa e efeito. Enquanto que normalmente o conceito de Karma sugere uma dívida a ser resgatada, a lei de causa e efeito nos apresenta a idéia de que o futuro depende das ações e decisões do presente. Uma causa positiva gera uma efeito positivo, enquanto que uma causa negativa gera um efeito igualmente negativo.
Mas, afinal, o que é CARMA?

Aguardem o próximo post...

Bjôooooo

4 comentários:

Cadinho RoCo disse...

Enquanto cristão creio na vida eterna e única, sem volta.
Cadinho RoCo

Flávia Souza disse...

Até onde eu sei (ou sabia), Carma era aquele negócio tipo "destino". Sabe quando a mulher tem "dedo podre" pra homem, aí diz: ah, é meu carma.. Eu acho (achava :S)que era isso..

agora num sei..
e agora?

Beijo!

Olavo disse...

Passando para desejar uma ótima quarta..
Ainda não estou podendo ler os blogs amigos
Minha conexão aqui é ruim...mas volto para ler
Com mais atenção..
Beijão

Zingara disse...

Esse é um dos inúmeros conceitos que foram deturpados e incorporados a eles conotações negativas.

Poderia citar outros vários, até o termo MACUMBA, por exemplo. Mas minha cabecinha anda de mal a pior, decorando coisitas inúteis para concurso. Enfim, muito esclarecedor. Parabéns.

Bjo,
Zin

(Não sei se meu comentário está DUPLICADO, se estiver... Cancele o primeiro e aceite esse aqui. Obrigada)