segunda-feira, 6 de julho de 2009

Dicionário do Sexo


A idéia era fazer um apanhado de informações úteis, mas aí nós lembramos que sexo pra ser muuuuuito bom tem que ter sua pitada de humor. Divirta-se!

A

Abstinência - É quando você vive e não transa e por isso mesmo começa a questionar se realmente está vivendo ou se é só um repolho com pernas. Ok, nem dá para descolar um parceiro sexual, mas, por favor não exagera na entre safra. Faz mal à saúde.

Afrodisíaco – Aquelas coisas que a gente realmente acredita que aumentam o tesão, a excitação. A gente acredita tanto, que até funcionam. Sim, incluindo o rabo de camarão.

Anafrodisíaco – Exatamente o contrário do afrodisíaco. São substâncias que diminuem ou acabam com o tesão. A mais conhecida é o salitre, mas acho que ter que pagar CPMF todo mês funciona mais.

Anorgasmia – É quando você não tem orgasmo nas relações sexuais. Não se assuste e não comece a gritar que você é uma anorgásmica, porque vão achar que você foi abduzida por alguma nave mãe. É comum não ter sempre orgasmos. Aliás, não encane com isso. O termo aqui é usado quando o buraco é mais embaixo. Pode ser primária, quando a mulher nunca teve orgasmo na vida, ou secundária, quando ela já teve orgasmos e passou a não ter mais. Às vezes também pode ser chamada de situacional, ou seja: a mulher não consegue ter orgasmos apenas em algumas situações como, por exemplo, quando o fofo fica 3 dias sem tomar banho naquela excursão para Matchu Pitchu.

Anticoncepcional – O melhor amigo da mulher que quer liberar a "Tchetchênia" à vontade, mas não quer ter pimpolhos. O mais famoso é a pílula (hormonal). Um conselho: cuidado com a Tabelinha, chamado de anticoncepcional de abstinência periódica. Tabelinha, só para futebol, e olhe lá.

B

Bestialidade – É uma tara medonha e refere-se a qualquer contato sexual com animais. Não, ter tara no Brad Pitt, em Tróia, não é bestialidade. Se joga!

Bissexualidade – É quando a primeira faz tcham e a segunda faz tchum... São as pessoas que sentem tesão em gente de ambos os sexos, tipo Angelina Jolie.

C

Cinto de castidade – Tranqueira obviamente criada por homens para, mais uma vez, sacanear as mulheres. Eram usados na Europa Medieval e colocadas no corpo das mulheres para evitar pulação de muro. Eram feitas de metal.

Cisvestismo – É aquela tara louca de se vestir como bebê (com fraldas) ou criancinha. Isso claro num contexto sexual. Mas também pode ser outra mania, tipo: um executivo vestir-se de vaqueiro, policial etc. Não, nada a ver com o Clube das Mulheres.

Clitóris – Criaturinha gente boa que é a alegria da mulherada. É o principal órgão do prazer feminino, fora o cartão de crédito. Fica na parte superior dos pequenos lábios (da "Tchetchênia", óbvio. Se fosse na boca talvez justificasse o fato da gente falar tanto). A palavra deriva do grego kleitorís.

Coito interrompido - Famoso "tirar fora". É aquela lábia que a homarada passa na gente e a gente cai que nem pata. Resultado: mundo superlotado. Além do que, aquela gosminha antes da ejaculação pode conter espermatozóides vivos. Não caia nessa, caia de camisinha!

Compulsivo sexual – É uma pessoa bem mais tarada que a gente, viciada mesmo em sexo. Ela fica o dia inteiro criando situações para transar e ou se masturbar. Mesmo tendo chegado ao orgasmo, não se sente satisfeita. Quem já não se deparou com um ser desses em sessão de cinema à tarde?

Condom – Vulgo camisinha, é o envoltório utilizado sobre a anaconda do homem durante o ato sexual. A primeira evidência de sua existência foi no século XVI. Ou seja: o pessoa, lá da época já era inteligente o suficiente para usar. E você?

Cópula – Não tem nada a ver com aquele diretor de cinema famoso, o Coppola. A cópula é sinônimo de ato sexual.

Cunilíngua – Não é o que você está pensando. É o sexo oral feito na mulher. Vale lembrar que, embora ninguém faça isso, camisinha também é importantíssimo no sexo oral, seja no homem ou na mulher (nesse caso, usa-se a camisinha feminina), para evitar o risco de contágio das infecções sexualmente transmissíveis.

D

DST – Não tem nada a ver com o Movimento dos Dildos Sem Terra. É a sigla de Doença Sexualmente Transmissível. Antigamente, falava-se: doenças venéreas. Usar camisinha é o melhor jeito de evitá-las. Alguns exemplos de DST: sífilis, cancro mole, candidíase, herpes simples genital, gonorréia, HPV, linfogranuloma venéreo, pediculose do púbis, hepatite B, Aids, etc. Pois é...

Se quer conhecer o dicionário todo, não perca os próximos posts...

Bjôooooo

Fonte: iTodas - Sexo - Por Gisela Rao

Um comentário:

tereSafur disse...

que ideia bacana, dear

bjoks